Cirlei Fajardo, uma poeta das Redes Sociais: "Hoje perdi a conta dos textos já escritos, e existem outros que também são profundamente poéticos e para mim... uma maravilhosa obra prima... algumas pessoas me seguem a quase 5 anos em tudo que escrevo e não se cansam do conteúdo e da inspiração que deixei impressa. Se pudesse eu faria todos os textos acompanhados de música e imagens pois os três se complementam e quem lê assiste, vê a imagem vai estar muito próximo do que eu visualizei e com toda certeza vai ver com os meus olhos. (Na foto, com os acadêmicos da Academia Poética Brasileira, Olinto Simões e Paulo Cunha).

5 - MHARIO LINCOLN: Como o tema PAZ interage em suas produções literárias?

CIRLEI FAJARDO: Todo texto é escrito almejando a paz profunda... há alguns dias atrás li de uma escritora que poesia não muda nada, que nem todo poeta é bom e pratica a bondade... discordo dela... porque se existirem duas pessoas que vibrem o mesmo sentimento que vibrei ao escrever sobre o amor, a bondade, fé, esperança, alegria, tristeza, sem dúvida nenhuma... já consegui o meu intuito ao partilhar o meu escrito pois seremos mais de um e o nosso pensamento terá mais força do que quem só reclama e não faz absolutamente nada.
Uma madrugada eu estava acordada como em muitas outras
o sono simplesmente desaparece e me entrego a escrever e ouvir música, um texto longo e prolixo para alguns, mas era o que eu precisava escrever... postei no googleplus onde tenho 50 coleções com diversos assuntos e 15 minutos depois numa notificação em japonês um agradecimento... o texto estava sendo lido e a música do vídeo sendo transmitida pelo sistema de som na hora do café da manhã num hospital que cuidava de crianças com câncer... a médica responsável pelo tratamento usava música e poesia para dar aos pacientes calor humano ao invés dos silenciosos corredores pintados de branco onde a esperança desaparece e o tempo de tratamento muito longo para quem tem pressa de viver e sair lá fora para brincar... crianças ouvindo minha poesia e a música de piano que anexei ao vídeo... linda por sinal.
Já ouvi daquele mesmo jornalista que música mata... mata sim... mas prefiro morrer com a música do que viver no silêncio dos corações frios que sempre serão apenas rocha.
Mesmo que tudo esteja dando errado, que a vida seja uma luta constante, que eu não seja amada como eu quero, que a mídia insista em jogar na nossa cara que tudo é guerra e morte... eu prefiro falar e desejar a paz não escrevendo de violência... um dia também disseram para eu me amar mais e me valorizar e respondi que me amava e amo muito... então mesmo que algumas pessoas não compartilhem o meu modo de pensar... sigo à diante...

O amor sempre sobrevive...

por mais que tentem matar 
esse amor em mim... 
nunca conseguirão... 
fico absurdamente triste... 
me descabelo... choro... sofro...
me calo e também grito...
mas ele ainda está lá... 
sobrevive e talvez só acabe 
quando a essência deixar o cálice
e tomar rumo de volta para casa...

Cirlei Fajardo
10 de abril de 2018

 

 

6 - MHARIO LINCOLN: Você já escreveu com Ódio?

CIRLEI FAJARDO: Já escrevi com ódio quando criaram um perfil falso com o meu nome e minha fotografia tentando levar meus seguidores à sites pornográficos e falando mentiras sobre minha pessoa.
Fui à polícia e fiz um boletim de ocorrências e voltei à mesma rede e todos os dias postava denúncias para os quase 5000 seguidores que multiplicados pelos seguidores de cada um deles dava um resultado gigantesco para que nunca mais outra mulher na minha faixa etária e situação cível caia em golpes cibernéticos de gente que se veste de anjo mas não passa do próprio diabo em pessoa. Não espero pela justiça dos homens mas pela justiça divina de Deus pois naquele momento o ódio foi reflexo diante do que fizeram com a minha pessoa e eu não podia me calar. As pessoas que fizeram isso ainda estão lá... falando manso... vivendo da mentira.... usando pessoas que se calam e se escondem com medo... prefiro a verdade sempre... eu não gosto de mentiras... naquele momento o ódio foi a minha salvação... perdi muitos seguidores que acreditaram e tiveram medo de se expor na busca pela verdade... 
Naquele momento fui eu que caí num golpe mas todos temos filhos... irmãos... pais... tios... sobrinhos... netos... amigos... pessoas conhecidas que poderão sofrer consequências terríveis se silenciarmos e compactuarmos com a maldade de pessoas que são chamadas de humanas mas humanidade não existe em suas mentes...
Quando me revolto eu falo muito... grito... não me calo... luto com o que tenho... não podemos amar atitudes erradas... não podemos aceitar a violência que não vem somente como ato físico... ela vem de forma psicológica para acabar com sonhos e não podemos permitir isso em nossas vidas e ao redor de nós... não faço o mal e não permito o mal ao meu redor... e se o ódio for a minha salvação diante deste tipo de inimigo... o ódio me moverá a escrever o que for preciso para me defender e a quem eu tiver que defender... prefiro a paz e a calma da alma mas ela jamais pode se aquietar e aceitar o mal.

7 - MHARIO LINCOLN:   Há pertubações cósmicas interagindo com os destinos de pessoas no Planeta, antes de Expiação, hoje de Regeneração? Você acredita nessa hipótese? E como usar isso como tema poético?

CIRLEI FAJARDO: Sim... eu acredito nisso... e talvez a resposta anterior tenha respondido esta questão... mas posso cortar o mal pela raiz quando me circundo do amor que vibro em direção à todas as pessoas independente de merecem ou não ser amadas por mim e principalmente se merecem uma linha de um poema meu.... já escrevi vários poemas para algumas pessoas que não mereciam uma palavra sequer... e falar poeticamente maneiras de não cair em golpes e inverdades sobre boas atitudes e sobre o amor é uma maneira de contribuir para o bem comum e outras almas amorosas que perambulam por aí mas que estão reféns dessas perturbações.

8 - MHARIO LINCOLN:  Algum poeta, escritor ou artista influenciou em suas construções literárias?

CIRLEI FAJARDO: Um poeta foi a pessoa que inspirou a coleção que mantenho no Google Plus intitulada "A Menina e o Poeta"... músicos e músicas são a base de boa parte dos meus textos... vídeo poemas já inspiraram outros poemas e consequentemente outros vídeos poema... pessoas com as quais convivo e suas histórias de vida já inspiraram longas reflexões... publicações já surtiram longos e prolixos textos.... alguns poetas mortos com suas criações literárias antiquíssimas, porém, incrivelmente atuais foram molas propulsoras para minhas dissertações... bem como... não seguir a linha de raciocínio deles ao escrever... lembro sempre das minhas professoras de português do ginásio no colégio La Salle... que falavam sobre a construção literária e da liberdade poética que poderia ser utilizada livremente mas o que não se poderia admitir erros ortográficos... e dessa maneira foram elas as professoras de português as responsáveis pela manutenção da coleção "nosso idioma" com dicas de ortografia básica onde todos podem tirar dúvidas enquanto navegam numa rede dita social... 

9-MHARIO LINCOLN:  Há claras evidências de que o silêncio, quando absorvido pelas entranhas da alma, é uma poderosa arma de meditação e cura. Tal introspecção já ajudou em algum momento a sua criação lírica?

CIRLEI FAJARDO: Sim. Há claras evidências de que o silêncio, quando absorvido pelas entranhas da alma, é uma poderosa arma de meditação e cura.

Todas as vezes que escrevo deixo de tomar os remédios de tarja preta e sempre incentivo quem os toma a começar a escrever para substituir remédio químico pelo prazer da escrita e principalmente da libertação da alma através desta reflexão profunda que a construção literária alavanca.
Escrever sempre me salva porque coloco em linhas e entrelinhas de forma poética as alegrias, tristezas, decepções, vitórias, perdas, esperança, desesperança, amor x desamor (homem/mulher e o voltado à humanidade).
Preciso do meu silêncio sem interrupções para poder fluir de maneira satisfatória e centrada.
Eu não consigo fazer duas coisas ao mesmo tempo como atender o telefone e escrever.... responder um comentário no meio de uma criação literária... interromper um texto para falar com alguém de casa e depois continuar como se estivesse lendo um livro... eu perco o fio da meada e assim já perdi textos inteiros que estavam no raciocínio mas que foram interrompidos por barulho, conversa, e etc.
Alguns pensadores dizem que tudo o que precisamos está dentro e não fora da gente... 
Que a distância mais longa não é a que vai até a lua mas sim quando vamos ao fundo das nossas próprias almas.

 

10 - MHARIO LINCOLN:  Caso queira complementar com alguma outra coisa, por favor.

CIRLEI FAJARDO: Estou grata pela oportunidade de poder partilhar com todos a forma como penso, escrevo e do porque escrevo.
Espero poder contribuir para que outras pessoas que como eu estão em busca de muitas respostas dos motivos pelos quais estamos aqui trafegando por uma estrada que já está pré determinada em nosso script evolutivo aprendendo muitas lições e de vez em quando ensinando aos que necessitam do aprendizado da maneira mais simples possível sem ter que sofrer grandes vicissitudes ao longo da nossa jornada.

---------------------------------------------------

PARCERIAS: As parcerias com os editores de vídeo e Photoshop são sempre virtuais à distância.

Editores dos vídeos poema: Raul de Almeida Moura Filho (In Memorian) residia no interior de São Paulo. José Cantos Lopes Filho reside em Guarapuava Clovis Stoquinni reside no interior de São Paulo.

Editores de Photoshop: Manuela Silva - reside além mar... Portugal. José Ribamar - Maranhão (ele não assinava as fotos uma delas é este que está junto com as fotos.

 

Cirlei Fajardo - Curitiba
11 de abril de 2018 - 01h56 

Esta é mais uma publicação da ACADEMIA POÉTICA BRASILEIRA/Assessoria de Imprensa

MHARIO LINCOLN é Presidente da Academia Poética Brasileira. / Informações para esta coluna: mhariolincolnfs@gmail.com CURITIBA-PARANÁ-BRASIL. Jornalista Profissional/Sindicalizado

FACE: https://https://www.facebook.com/MharioLincolnFS - www.twitter.com/mhariolincoln